Le Entrevistou | Make U Sweat confirma parceria com Inimigos da HP, fala sobre carreira e mais

Make U Sweat, o trio formado por Pedro Almeida, Guga Guizelini e Dudu Linhares, está no Le Entrevistou e conversou comigo sobre carreira

Make U Sweat é o convidado de hoje do Le Entrevistou. O trio, que conta com dez anos de estrada e uma carreira de tirar o fôlego, conversou comigo e você pode ler a entrevista na íntegra agora!

Le Ferrarez: Vocês fazem diversas parcerias musicais com artistas diferentes. Como o Make U Sweat escolhe os nomes para as colaborações?

Make U Sweat: A escolha das nossas parcerias normalmente surge de uma conexão musical, admiramos muito o trabalho de outros artistas e todo processo acontece de forma natural, quando percebemos que há uma sintonia sonora com um determinada música ou artista. Nossa prioridade nesse processo é a nossa afinidade com a música.

Le: Poderiam compartilhar alguma experiência marcante durante a colaboração com Lulu Santos, Tiago Abravanel, Toni Garrido, Digão do Raimundos, Felipe da Banda Eva, e George Israel para as músicas mencionadas?

Make: Trabalhar com todos esses nomes foi incrível. Com cada um, tivemos um tipo de experiência. Com o Lulu, por exemplo, foi uma ideia nossa fazer uma versão de “Tempos Modernos”, nós fomos atrás dele porque tocávamos uma outra versão nos shows e a galera adorava. Ele curte muita música eletrônica e gostou da ideia, Lulu entende que o trabalho do DJ ajuda a obra dele a chegar em novas gerações. A versão que fizemos já acumula mais de 20 milhões de plays e é um dos nossos maiores sucessos. Foi bem emocionante.

Le: Como vocês definem sua identidade musical única, especialmente ao combinar house music com clássicos brasileiros?

Make: Nossa identidade musical nasce da paixão pela música eletrônica, é claro, mas também pela riqueza dos clássicos, dos grandes hits. Nossos shows são baseados na catarse provocada por esses grandes sucessos. Essa fusão é parte de quem somos, buscamos manter a essência das músicas que amamos, adicionando a nossa estética.

Le: Vocês já passaram por diversos festivais no Brasil e no mundo. Qual história mais marcante nesses 10 anos para vocês?

Make: Tivemos momentos incríveis, mas uma história que nos marcou foi tocar para 500 mil pessoas na Berrini, em SP, durante o Bloco Beleza Rara, da Banda Eva. A energia daquele mar de gente foi um lance simplesmente indescritível, um marco na nossa carreira, é algo que a gente vai lembrar pra sempre. Outro momento foi o Rock in Rio, quando tocamos no mesmo horário do Red Hot Chilli Peppers e mesmo assim muita gente prestigiou o nosso set.

Le: Sobre o novo lançamento “Michael Douglas 2023”, como surgiu a colaboração com João Brasil e o que esperam alcançar com essa nova versão?

Make: Nossa conexão com o João Brasil sempre foi muito legal. Ele é carioca e a gente sempre tocava nos mesmos eventos no Rio. A cada encontro, pintava aquele papo de fazer algo juntos, e aí, agora, lançamos a versão ‘Michael Douglas 2023’. Juntamos o Funk Carioca com House Music, misturando samples típicos do funk e mantendo aquele clima nostálgico da música original. Esperamos que todos gostem.

Le: Quem vem no Le Entrevistou tem que deixar algum spoiler do que vem pela frente. O que vocês podem contar para nós?

Make: Ah, sobre spoilers, estamos sempre trabalhando em novos projetos! Podemos adiantar que há uma colaboração bem especial com o Inimigos da HP, que será lançada em breve. Foi uma ideia que surgiu durante a pandemia e deu super certo, mas ainda não podemos dar muitos detalhes.

Le: Para encerrar, gostariam de deixar algum recado para seus fãs?

Make: Fala, galera! Muito obrigado por acompanharem o nosso trabalho. Esperamos que vocês gostem de “Michael Douglas 2023”, uma nova roupagem para essa música que todo mundo dançou nas pistas há alguns anos e, agora, volta com tudo com a cara do Make.

Curtiu o Le Entrevistou de hoje? Então continue acompanhando o site e o Instagram para mais conteúdos como este.

 

Foto de capa: divulgação