Cinelet | Radioflash não consegue manter o telespectador entretido

O roteiro e a trama de Radioflash tinham tudo para ser um sucesso, mas não foi transmitido da melhor maneira

O filme Radioflash chegou hoje, 7 de outubro, nas plataformas digitais da Claro TV+ (antigo Claro Now), iTunes/Apple, Google/YouTube e Vivo Play, para aluguel e compra. A produção que aborda um cenário apocalíptico, após um blecaute total nos Estados Unidos, foi dirigida e produzida por Ben Mcpherson.

Reese e seu pai são uma das vítimas do blecaute geral no país, causado por um pulso eletromagnético (EPM), que deixou mais de 200 milhões de pessoas no escuro. E então, pai e filha precisam atravessar o pais e encontrar-se com o avô de Reese. Mas, eles terão que usar métodos antigos, como mapas e fogueiras, para chegar ao seu destino.

Apesar da história parecer intrigante no começo, Radioflash não consegue manter o telespectador interessado até o final. Além da fraca atuação dos atores, a ordem de acontecimentos é sem sentido e fraca.

Mas nem tudo é 100% ruim, o filme traz alguns pontos interessantes sobre a vida da protagonista ao decorrer da história. Isso pode ser o único aspecto interessante sobre a produção. 

Com aproximadamente 1 hora e 40 minutos, Radioflash é óbvio de mais e não soube explorar bem seus pontos fortes, deixando a desejar em muitas partes.

Opinião da redação 

De início, a produção parece ser muito interessante, no entanto, após 10 minutos de filme, perde-se o interesse total. Radioflash tinha tudo para ser brilhante, mas por causa da má atuação da protagonista e do desfecho óbvio de mais, infelizmente o filme não pode ser considerado a melhor opção. Por isso, na escala de pipoca, o filme leva um saquinho.

Mas, continue aqui no site para saber mais sobre o que assistir! Aproveite para comentar no instagram se você já assistiu a Radioflash, e o que achou do filme.

 

Foto de capa: divulgação