Clube Zero: longa indicado à Palma de Ouro em Cannes chega aos cinemas brasileiros

Suspense dramático, Clube Zero, chega aos cinemas em abril, trazendo uma história de manipulação e busca espiritual

Destaque no prestigiado Festival de Cannes, onde concorreu à cobiçada Palma de Ouro, Clube Zero marca o retorno da renomada diretora austríaca Jessica Hausner à cena cinematográfica. Quatro anos após seu último sucesso, Little Joe: A Flor da Felicidade, que rendeu o prêmio de Melhor Atriz para Emily Beecham, Hausner apresenta agora um filme controverso que promete intrigar o público brasileiro. Distribuído pela Pandora Filmes, o suspense com toques de humor perturbador estreia nos cinemas do país em 18 de abril.

Na trama, Jessica Hausner mergulha nas profundezas das falhas sociais, explorando a delicada premissa da manipulação de um grupo de jovens alunos incentivados a abandonar a alimentação em busca de uma evolução espiritual. O papel central é desempenhado pela talentosa Mia Wasikowska, conhecida por seus papéis em A Ilha de Bergman e Alice no País das Maravilhas. A diretora constrói um elenco diversificado, composto por veteranos e jovens talentos, para dar vida a essa história intrigante.

Clube Zero analisa como os pais transferem sua responsabilidade pelos filhos à uma professora que abusa dessa confiança. A Miss Novak manipula as crianças e as aliena de seus pais. Eles são obrigados a viver o maior pesadelo de todo pai: perder seu filho. Clube Zero aborda esse medo existencial e questiona: ‘Como os pais podem monitorar seus filhos quando simplesmente não têm tempo suficiente para eles?’”, comenta a diretora.

O filme expõe a desconexão entre jovens e adultos, utilizando elementos satíricos para retratar a influência nefasta da educadora sobre seus seguidores. Hausner e a coautora Géraldine Bajard criam uma atmosfera surreal, onde a perigosa Miss Novak lidera seus seguidores em uma jornada perturbadora em busca de uma verdadeira salvação.

Em uma coletiva de imprensa durante o Festival de Cannes, Mia Wasikowska discutiu sua abordagem à personagem, destacando a importância de interpretar a Miss Novak com convicção. Segundo a atriz, era crucial transmitir a crença da personagem em suas próprias filosofias, mesmo que estas fossem questionáveis. “Chegamos à conclusão de que era muito importante interpretá-la como se realmente acreditasse em suas filosofias de vida, de uma forma que ela acreditasse que realmente estava fazendo a coisa certa, que estava ajudando a salvar aquelas crianças e que não estava conscientemente manipulando toda uma situação.”, conta.

Com uma direção técnica impecável, Jessica Hausner cria uma atmosfera visualmente deslumbrante, repleta de simetria e detalhes meticulosamente planejados. O filme se assemelha a uma fábula distorcida, onde a perfeição estética mascara as vidas infelizes por trás das fachadas aparentemente perfeitas.

A estética única do filme, desde o guarda-roupa até a cinematografia, contribui para a experiência cinematográfica única proposta por Hausner. Clube Zero desafia o espectador a refletir sobre as complexidades da condição humana, deixando espaço para interpretação e contemplação.

Gostou da novidade? Então continue acompanhando o site e o Instagram para ficar por dentro de tudo que acontece no mundo do entretenimento.

 

Foto de capa: divulgação/Pandora Filmes