Oito filmes e séries que discutem sobre saúde mental

Flávia Barbato, psicóloga comportamental, fez uma lista com oito títulos de filmes e séries que abordam questões de saúde mental 

Discutir sobre saúde mental costuma ser difícil é libertador ao mesmo tempo. E vivendo na sociedade que estamos hoje, o tema se torna cada vez mais importante e acessível.

Para comprovar que isso precisa continuar assim, a psicóloga Flávia Barbato fez uma lista com 8 filmes e séries que abordam o tema. Seu trabalho na clínica digital Televita dão acesso a todos os tipos de casos e recantos do país, e isso a inspirou a debater o assunto com mais diversão, usando o entretenimento.

Vem conferir a lista!

United States Of Tara (2009)

Poster oficial da série United States of Tara
Foto: divulgação/Prime Video

Disponível pela Amazon Prime Video, a série de comédia dramática conta sobre a vida de Tara (Toni Collette). E essa já é para quebrar tudo, porque o tema da série não é tão simples.

Tara sofre de Transtorno Dissociativo de Identidade. Ou seja: Tara tem várias personalidades presas dentro de si, e sem seus remédios ela não tem controle algum sobre elas.

Na busca de tentar descobrir o que causou sua doença, ela decide abandonar os remédios e isso desperta todos os seus eus. Entre a selvagem adolescência T, a dona de casa responsável Alice e o veterano Buck, combatente do Vietnã, Tara se vê em um ciclo interminável de emoções. E é só com o apoio e a ajuda da família que ela consegue driblar suas dificuldades e vencer a rotina.

Euphoria (2019)

Zendaya como protagonista da série Euphoria
Foto: divulgação

Nenhuma surpresa que a série Euphoria é um sucesso imperdível, e que debate sobre saúde mental.

O clichê adolescente de séries baseadas nos dramas jovens quebrou as expectativas nas mãos de Sam Levinson. A direção do aclamado cineasta estadunidense abraçou as fases mais drásticas da adolescência com realismo.

Batendo na tecla do amadurecer da forma mais dura, o roteiro explora temas pesados e expõe o verdadeiro cotidiano dos adolescentes de um colégio estadunidense em meio a nossa realidade atual.

Com duas temporadas disponíveis na HBO Max, Euphoria conquistou legiões de fãs pelo mundo, e segue sendo um sucesso na cultura pop.

BoJack Horseman (2014)

Cena da animação BoJack Horseman
Foto: divulgação/Netflix

Lançada em 2014 pela Netflix, a série BoJack Horseman já é um ícone indispensável da cultura pop. 

Distúrbios psicológicos e emocionais, vício e abuso de substâncias e depressão, são os temas mais discutidos no roteiro dessa animação nada infantil.

A série conta a história de BoJack, um ex-astro de Hollywood que caiu em decadência e que tenta encarar o fato de que sua carreira não é mais a mesma. Fora isso, os drama do cavalo meio humano abordam questões familiares e emoções sempre conflituosas.

Para debater sobre saúde mental, BoJack Horseman é a série perfeita.

Please Like Me (2013)

Poster oficial da série Please Like Me
Foto: divulgação/Netflix

A comédia dramática Please Like Me é um dos títulos da Netflix que abordam saúde mental.

Josh (Josh Thomas), é um jovem que está tentando lidar com a revelação da sua sexualidade e com as tendências suicidas da mãe. E com muita leveza, o roteiro questiona e discute os temas mais importantes possíveis.

Doenças psicológicas e crises depressivas, suicídio e homossexualidade são colocados de frente para o público, com um charme sem igual e com doses de um realismo prazeroso.

O Mínimo para Viver (2017)

Lily Collins como protagonista de O Mínimo para Viver
Foto: divulgação

Estreia de 2017, o filme conta sobre Ellen (Lily Collins), que sofre de anorexia.

Muito longe de ser um debate que a sociedade julga relevante atualmente, a anorexia de Ellen é um lembrete triste e cruel sobre a importância de não usarmos a palavra magra como elogio, de o quanto distúrbios alimentares são um peso muito maior nos ombros femininos e de toda uma luta pela vida e pela saúde.

Ao conhecer um médico nada convencional, enquanto mora em uma casa com mais pacientes que compartilham com ela desse problema, Ellen passa a aprender sobre si mesma e explora seu traumas e dificuldades.

O Lado Bom da Vida (2012)

Bradley Cooper e Jannifer Lawrence em O Lado Bom da Vida
Foto: divulgação/Prime Video

Com um elenco de peso e um roteiro baseado no livro homônimo, de Matthew Quick, o filme conta a história de Pat (Bradley Cooper).

Depois de um episódio traumático que o mandou direto para uma clínica de reabilitação, Pat se vê de volta à sociedade. Mas sempre em um questionamento constante sobre o que exatamente aconteceu com o seu emocional naquela noite em que ele foi internado.

Sua memória o confronta todos os dias, e a busca por reconquistar sua ex-esposa se torna seu principal objetivo. Mas é com Tiffany (Jennifer Lawrence), uma nova amiga, que Pat se vê diante de uma vida com possibilidades de melhoras reais.

Tocante e importante, O Lado Bom da Vida é uma história de extrema importância para os dias atuais. Debatendo sobre relações feridas, distúrbios psicológicos e descontrole emocional.

Garota, Interrompida (1999)

Winona Ryder e Angelina Jolie em Garota, Interrompida
Foto: divulgação

Disponível nas principais plataformas de filmes, Garota, Interrompida é um marco na história do cinema.

Contando a história de Susanna (Winona Ryder), diagnosticada com Transtorno de Personalidade Limítrofe. O tão famoso Borderline.

Inspirado no livro de memórias da Susanna Kaysen real, o roteiro coloca Susanna no centro de uma história complexa e dolorosa. Com um hospital psiquiátrico de pano de fundo e questões sobre saúde mental pipocando na tela a cada cinco minutos.

Borderline é uma condição psicológica que aprisiona os pacientes dentro de mudanças de humor frequentes, crises depressivas intensas e momentos de alta adrenalina e euforia. A dor dos pacientes é explícita pela pele de Susanna, e nos faz analisar pacientes diagnosticados com essa condição de forma mais explícita.

Demolição (2015)

Cena do filme Demolição
Foto: divulgação/Adoro Cinema

Disponível na Amazon Prime Video, o filme conta a tragédia que aconteceu na vida de Davis (Jake Gyllenhaal). Apesar de ser bem-sucedido na vida profissional, Davis passa por desconexão emocional depois de perder a esposa em um acidente perturbador.

Tentando entender as causas de suas dores serem quase palpáveis, Dave entre em um looping de autoanálise e busca interior. E no processo conhece alguém que o faz repensar tudo por uma nova perspectiva de vida.

O filme coloca o público diante de processos emocionais intensos e aflições tocantes, dentro de uma narrativa aflita.

Segundo Flávia, essa lista é capaz de abrir nossa mente sobre a importância da saúde mental. E a gente concorda! E para não perder mais nada sobre esse tema, acompanhe o conteúdo do Le Ferrarez. Estamos sempre dispostas a abrir o coração sobre saúde mental. E não esquece que também estamos no Instagram.

Foto de capa: divulgação