Cinelet | Sem Pensar no Amanhã: documentário sobre Alceu Valença será lançado sexta-feira

Documentário mostra momentos de Alceu Valença durante a pandemia

E o Cinelet de hoje é de Sem Pensar no Amanhã, documentário sobre o Alceu Valença. Com a direção de Marcos Credie, o documentário Sem Pensar no Amanhã é uma produção Pipoca e será lançado amanhã (15) via pay-per-view. O filme conta como o momento de pandemia para o cantor e a consequência que esse período teve tanto para sua obra quanto para sua criatividade no geral.

A premissa do projeto é simples: entrevistar Alceu e as pessoas mais próximas a ele nesse tempo e mostrar o registro de músicas novas. Descobrimos aqui que por ficar muito tempo dentro de casa, o cantor passou a redescobrir suas próprias músicas, tocando elas de um jeito novo, mais intimista. E como se isso não bastasse, houve uma intensa onda de criatividade sobre ele.

E o resultado disso? Material para gravar quatro álbuns! 

Nesse processo acompanhamos entrevistas do próprio Alceu, sua esposa e filho (Yanê e Rafael Valença), o produtor e o engenheiro de áudio desse novo projeto (Rafael Ramos e Matheus Gomes) e o guitarrista e amigo de longa data Paulinho Rafael, que detalham a gravação dessas músicas mais pessoais e com arranjo mais simples (apenas voz e violão), destacando a criatividade do artista com mais de 40 anos de carreira. Confira o trailer do filme:

Opinião da redação

É um documentário que surpreende por mostrar tanto o íntimo desse momento na vida do Alceu como por vermos o processo criativo desse que é um dos maiores artistas vivos da música brasileira. E o interessante é que (de uma maneira pensada, ou não) o filme combinou perfeitamente com o tom das novas composições voz e violão do Alceu: um registro simples, íntimo e honesto.

Uma das coisas mais bonitas que vemos é a relação que o Alceu tem com a música, representados pelo seu violão e pelo amigo e guitarrista Paulinho. Ele tem uma ligação forte com o instrumento. Ele mesmo afirma (em depoimentos delicados e bem-humoradas) que o violão chamava ele para tocar, sendo uma companhia mais recorrente nos monótonos dias de pandemia. Isso representa bem como funciona a cabeça e criatividade desse artista.

Infelizmente vemos no fim do filme que o Paulinho faleceu. Apesar dos depoimentos terem sido feitos antes da morte dele, sentimos o peso disso pela relação que ele e o Alceu estabelecem: um carinho e respeito mútuo, que deu vida através da música que fizeram juntos durante todos esses anos.

No fim, terminamos essa pequena aventura de uma maneira agridoce. Triste pelo falecimento do músico, mas feliz por termos visto a vitalidade e vontade de um artista com mais de 70 anos, que está ainda conosco, e sem pensar no amanhã, tem seus planos focados no hoje, trazendo sua música sempre para o público da melhor e mais honesta maneira possível.

Por isso, Sem Pensar no Amanhã ganha quatro saquinhos de pipoca!

Ansioso para assistir ao documentário? Conta pra gente! Então fique pelo site da Le Ferrarez para mais resenhas de filmes como esse. Aproveite também e acompanhe pelo instagram!

Foto de capa: divulgação